FRASES DO DIA


“A ciência sem religião é manca; a religião sem ciência é cega”. – Albert Einstein.

"É muita impertinência querer adivinhar o que é Deus, e muita ousadia querer negar o que Ele é". – Platão.

"A falsa ciência gera ateus; a verdadeira ciência leva os homens a se curvar diante da divindade". – Voltaire.

sábado, 30 de abril de 2016



100 FATOS BÍBLICOS SOBRE O SÁBADO




No livro “Sunday’s Coming! Eye-opening Evidence That These Are The Very Last Days” de G. Edward Reid, encontrei a partir da página 237 um  trecho sob o título “Cem Fatos Bíblicos Sobre a Questão do Sábado.”  De acordo com Reid ele os extraiu de um folheto publicado pela Review and Herald Publishing Association perto do ano 1885. Como achei interessante e útil decidí traduzi-los e coloca-los a seguir:


1.      Depois de trabalhar os primeiros seis dias da semana criando esta terra, o grande Deus descansou no sétimo dia. (Gênesis 2:1-3)
2.      Isto selou aquele dia como o dia de descanso de Deus, ou o dia de sábado, e dia de sábado significa dia de descanso. Para ilustrar: Quando uma pessoa nasce em um determinado dia, esse dia se torna o dia de seu nascimento (aniversário). Então, quando Deus descansou no sétimo dia, aquele dia se tornou Seu descanso, ou o dia de sábado.
3.      Desta forma o sétimo dia deve sempre ser o dia de sábado de Deus. Você pode mudar o dia de seu aniversário do dia no qual você nasceu? Não. Nem você pode mudar o dia de descanso de Deus para um dia no qual Ele não descansou. Desta forma, o sétimo dia ainda permanece como o dia de sábado de Deus.
4.      O Criador abençoou o sétimo dia. (Gênesis 2:3)
5.      Ele santificou o sétimo dia. (Êxodo 20:11)
6.      Ele criou o dia de sábado no Jardim do Éden. (Gênesis 2:1 a 3)
7.      O sábado foi criado antes da queda; desta forma ele não é um símbolo; porque símbolos não foram introduzidos antes da queda do homem.
8.      Jesus disse que o sábado foi feito por causa do homem (Marcos 2:27); ou seja, para a raça humana, como a palavra homem é ilimitada; desta forma abrange tanto Gentios como Judeus.
9.      O sábado é um memorial da criação. (Êxodo 20:11; 31:17) Toda vez que descansamos no sétimo dia, como Deus fez na criação, comemoramos aquele grande evento.
10.   O sábado foi dado a Adão, o cabeça da raça humana. (Marcos 2:27; Gênesis 2:1 a 3)
11.   Desta forma, através dele, como nosso representante, para todas as nações. (Atos 17:26)
12.   Não é uma instituição Judaica; porquê o sábado foi criado 2.300 anos antes de existir um Judeu.
13.   A Bíblia nunca o chamou de sábado Judeu; mas sempre, “o sábado do Senhor teu Deus.” Os homens deviam ser cautelosos na maneira em estigmatizarem o santo dia de descanso de Deus.
14.   Referências evidentes são feitas ao sábado através de toda era patriarcal. (Gênesis 2:1 a 3; 8:10, 12; 29:27, 28, etc.)
15.   Era parte da lei de Deus antes do Sinai. (Êxodo 16:4, 27 a 29)
16.   Então Deus o colocou no coração de Sua lei moral. (Êxodo 20:1 a 17) Por que Deus o colocaria na lei se o sábado não fosse como os outros nove mandamentos, os quais todos admitem que são imutáveis?
17.   O sétimo dia, o sábado, foi ordenado pela voz do Deus vivo. (Deuteronômio 4:12 e 13)
18.   Então Ele escreveu o mandamento com Seu próprio dedo. (Êxodo 31:18)
19.   Ele o gravou na dura pedra, indicando sua natureza imutável. (Deuteronômio 5:22)
20.   Foi sagradamente preservado na arca no lugar santíssimo do tabernáculo. (Deuteronômio 10:1 a 5)
21.   Deus proibiu o trabalho no sábado, mesmo nos tempos maior necessidade. (Êxodo 34:21)
22.   Deus destruiu os Israelitas no deserto porque eles profanaram o sábado. (Ezequiel 20:12 e 13)
23.   É o sinal do Deus verdadeiro, através do qual nós podemos diferenciá-lo de outros deuses. (Ezequiel 20:20)
24.   Deus prometeu que Jerusalém permaneceria para sempre se os Judeus observassem o sábado. (Jeremias 17:24 e 25)
25.   Os Judeus foram levados cativos para Babilônia por quebrarem o mandamento do sábado. (Neemias 13:18)
26.   Ele destruiu Jerusalém por terem violado o mandamento do sábado. (Jeremias 17:27)
27.   Deus pronunciou uma benção especial para todos os Gentios que observassem o dia de sábado. (Isaías 56:6 e 7)
28.   Isto está na profecia que se refere a toda dispensação Cristã. (Veja Isaías 56.)
29.   Deus prometeu abençoar a todo homem que observar o dia de sábado. (Isaías 56:2)
30.   O Senhor requer de nós que chamemos o sábado de “deleitoso e santo dia do Senhor, digno de honra, e o honrar...” (Isaías 58:13) Cuidado, todos aqueles que se deleitam em chamar o Sábado de “o velho sábado Judaico”, “julgo da escravidão”, etc.
31.   Depois do santo sábado ter sido pisado por “muitas gerações,” ele seria restaurado nos últimos dias. (Isaías 58: 12 e 13)
32.   Todos os santos profetas guardavam o sétimo dia.
33.   Quando o Filho do Homem veio, Ele guardou o sétimo dia toda Sua vida. (Lucas 4:16; João 15:10) Desta forma Ele seguiu o exemplo de Seu Pai na criação. Nós não estaríamos seguros em seguirmos o exemplo de ambos, o Pai e o Filho?
34.   O sétimo dia é o dia do Senhor. (Veja Apocalipse 1:10; Marcos 2:28; Isaías 58:13; Êxodo 20:10.)
35.   Jesus era o Senhor do sábado (Marcos 2:28); ele o amava e o protegia, da mesma maneira que o esposo protege a esposa.
36.   Jesus vindicou o sábado como, uma instituição misericordiosa, instituída para o bem do homem. (Marcos 2:23 a 28)
37.   Em lugar de abolir o sábado, Jesus cuidadosamente ensinou como deveria ser observado. (Mateus 12:1 a 13)
38.   Jesus ensinou Seus discípulos que Eles não deveriam fazer nada no sábado mas apenas o que era lícito. (Mateus 12:12)
39.   Jesus instruiu Seus apóstolos que o sábado deveria ser observado com muita oração, mesmo 40 anos após a Sua ressurreição. (Mateus 24:20)
40.   As santas mulheres que tinham estado com Jesus, cuidadosamente observaram o sábado depois de Sua morte. (Lucas 23:56)
41.   Trinta anos depois da ressurreição de Cristo, o Espírito Santo expressamente o chamou de “o dia de sábado.” (Atos 13:14)
42.   Paulo, o apóstolo dos Gentios, o chamou de “o dia de sábado” em 45 A.D. (Atos 13:27) Será que Paulo não sabia? Ou será que, acreditamos nos mestres  modernos que afirmam que o sábado cessou na ressurreição de Cristo?
43.   Lucas, o inspirado historiador Cristão, escrevendo depois de 62 A.D., o chama “dia de sábado.” (Atos 13:44)
44.   Os Gentios conversos o chamam de sábado. (Atos 13:42)
45.   No grande concílio Cristão, em 52 A.D., na presença dos apóstolos e milhares de discípulos, Tiago o chama de “o dia de sábado.” (Atos 15:21)
46.   Era costume ter encontros de oração naquele dia. (Atos 16:13)
47.   Paulo lia as Escrituras em reuniões públicas no dia de sábado. (Atos 17: 2 e 3)
48.   Era costume de Paulo pregar no dia de sábado. (Atos 17:2)
49.   Só no livro de Atos está registrado 84 reuniões no dia de sábado. (Veja Atos 13:14, 44; 16:13; 17:2; 18:4 e 11.)
50.   Nunca houve nenhuma disputa entre os Cristãos e os Judeus com respeito ao dia de sábado. Isto é prova de que os Cristãos continuaram observando o mesmo dia que os Judeus observavam.
51.   Em todas suas acusações contra Paulo, eles nunca o acusaram de não observar o dia de sábado. Por que não o acusaram? Porque Paulo guardava o dia de sábado.
52.   Mas o próprio Paulo expressamente declara que ele tinha guardado toda a lei. “Nenhum pecado cometi contra a lei dos Judeus, nem contra o templo, nem contra César.” (Atos 25:8) Como isto poderia ser verdade se ele não guardasse o dia de sábado?
53.   O sábado é mencionado no Novo Testamento 59 vezes, e sempre com respeito, usando o mesmo título que tinha no Velho Testamento, “o dia de sábado”.
54.   Nenhuma palavra é dita em qualquer parte do Novo Testamento sobre o sábado sendo abolido, liberado, mudado, ou qualquer coisa do gênero.
55.   Deus nunca deu permissão para qualquer homem trabalhar no dia de sábado. Com que autoridade, os homens utilizam o sétimo dia para um dia comum de trabalho?
56.   Nenhum Cristão do Novo Testamento, antes ou depois da ressurreição, realizou qualquer trabalho ordinário no sétimo dia. Ache um caso, e nós mudaremos nossa opinião. Por que deveriam os Cristãos modernos serem diferentes dos Cristãos da Bíblia?
57.   Não existe registro de que Deus tenha removido Sua bênção ou santificação do sétimo dia.
58.   Da mesma forma que o sábado foi observado no Éden antes da queda, assim também o sábado será observado eternamente na nova terra depois da restauração. (Isaías 66:22 e 23)
59.   O sétimo dia, o sábado, foi uma parte importante da lei de Deus, pois ele foi pronunciado pela própria boca de Deus, e foi escrito pelo próprio dedo de Deus sobre a tábuas de pedra no Monte Sinai. (Veja Êxodo 20.) Quando Jesus iniciou o Seu trabalho, Ele expressamente declarou que não tinha vindo para destruir a lei. “Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas”. (Mateus 5:17)
60.   Jesus severamente condenou os Fariseus e hipócritas que pretendiam amar a Deus, enquanto ao mesmo tempo eles tornavam nulo um dos dez mandamentos por sua tradição. A guarda do domingo é somente tradição.
Nós apresentamos 60 fatos Bíblicos evidentes, concernentes ao sétimo dia. O que você fará com eles?


1.      O primeiro registro bíblico é o trabalho realizado no domingo, o primeiro dia da semana. (Gênesis 1:1 a 5) Este trabalho foi realizado pelo próprio Criador. Se Deus trabalhou na criação da terra no domingo, como poderia ele nos culpar de trabalhar no domingo?
2.      Deus ordena aos homens trabalharem no primeiro dia da semana. (Êxodo 20:8 a 11) É errado obedecer a Deus?
3.      Nenhum dos patriarcas guardou o primeiro dia da semana (domingo).
4.      Nenhum dos santos profetas guardou o primeiro dia da semana (domingo).
5.      Por ordem expressa de Deus, Seu povo usou o primeiro dia da semana como um dia de trabalho comum durante pelo menos 4.000 anos.
6.      O próprio Deus chama ao primeiro dia da semana (domingo) de “dia de trabalho”. (Ezequiel 46:1)
7.      Deus não descansou no primeiro dia da semana (domingo).
8.      Ele nunca o abençoou.
9.      Cristo não descansou no primeiro dia da semana (domingo).
10.   Jesus era um carpinteiro (Marcos 6:3) e trabalho nesse ofício até aos 30 anos de idade. Ele guardou o sábado e trabalhou seis dias por semana, como tudo indica. Portanto,  ele fez muito trabalho árduo no domingo.
11.   Os apóstolos trabalharam da mesma forma.
12.   Os apóstolos nunca descansaram no primeiro dia da semana (domingo).
13.   Cristo nunca abençoou o primeiro dia da semana (domingo).
14.   O domingo nunca foi abençoado por nenhuma autoridade divina.
15.   O domingo nunca foi santificado.
16.   Nenhuma lei foi dada para ordenar a guarda do domingo, portanto não é transgressão trabalhar no domingo.  “Onde não há lei, também não há transgressão”. (Romanos 4:15; I João 3:4)
17.   No Novo Testamento não há nenhum lugar que proíba o trabalho de ser feito no primeiro dia da semana (domingo).
18.   Nenhuma pena é indicada para sua violação.
19.   Nenhuma bênção é prometida aos que o observam.
20.   Nenhuma regulamentação é dada para orientar a maneira de ser observado. Deveria ser assim se o Senhor desejasse que nós o guardássemos?
21.   Ele nunca é chamado de sábado cristão.
22.   Ele nunca é chamado de o sábado de todos.
23.   Ele nunca é chamado de o dia do Senhor.
24.   Ele nunca foi, nem mesmo chamado, de dia de descanso.
25.   Nenhum título sagrado, seja qualquer um, foi aplicado ao primeiro dia da semana (domingo). Então por que nós deveríamos chamá-lo de santo?
26.   Ele é simplesmente chamado de “primeiro dia da semana”.
27.   Jesus nunca o  mencionou de nenhuma maneira, nunca saiu estas palavras de seus lábios, pelo menos é o que os escritos demonstram.
28.   A palavra domingo não aparece em nenhum lugar da Bíblia.
29.   Nem Deus, Cristo, nem homens inspirados disseram alguma palavra a favor do domingo como um dia santo.
30.   O primeiro dia da semana é mencionado apenas oito vezes em todo o Novo Testamento. (Mateus 28:1; Marcos 16:2, 9; Lucas 24:1; João 20:1, 19; Atos 20:7; I Coríntios 16:2.)
31.   Seis desses textos se referem ao mesmo primeiro dia da semana.
32.   Paulo indicou aos santos que cuidassem dos trabalhos seculares naquele dia (primeiro dia da semana – domingo). (I Coríntios 16:2)
33.   Em  todo o Novo Testamento temos somente um texto que indica um encontro religioso ocorrendo no primeiro dia da semana, e mesmo assim, foi um encontro à noite. (Atos 20:5 a 12)
34.   Não existe nenhuma indicação que sustente ter existido um encontro antes ou depois daquele.
35.   Não era costume deles se reunirem no primeiro dia da semana (domingo).
36.   Não havia nenhuma ordenança para partirem o pão naquele dia.
37.   Nós temos apenas um registro de somente uma ocasião em que isso foi feito. (Atos 20:7)
38.   Isto aconteceu em uma noite – depois da meia-noite. (Versos 7 a 11) Jesus a celebrou na noite de Quinta-feira (Lucas 22), e os discípulos alguma vezes chegaram a realizá-la todos os dias. (Atos 2:42 a 46)
39.   A Bíblia em nenhum lugar diz que o primeiro dia da semana comemora a ressurreição de Cristo. Isto é tradição de homens, os quais tornaram sem força legal a lei de Deus. (Mateus 15:1 a 9). O batismo comemora o sepultamento e a ressurreição de Jesus. (Romanos 6:3 a 5)
40.   Finalmente, o Novo Testamento é totalmente silente com respeito a qualquer mudança do dia de Sábado ou alguma santificação passada para o primeiro dia da semana.




Copiado de: http://jonatanconceicao.blogspot.com.br/

domingo, 24 de março de 2013

Muita briga e discussão para ver quem tem mais direito que o outro? Egoísmo e arrogância? Sei lá! Eu entendo que as pessoas estão equivocadas em lutar por seus direitos quando elas não respeitam os direitos dos outros. Eu entendo que não adianta espernear, gritar e xingar. Eu creio que o Senhor Deus ama a todos os seus filhos incondicionalmente e os respeita a despeito de qual escolha de vida, dacor de sua pele, de onde você nasceu.
Não apoio o desapoio ninguém nessa "guerra" sem sentido. O tempo usado para discutir e aparecer na imprensa deveria ser usado para se conhecerem, se amarem e acima de tudo se respeitarem.

-Homossexuais aceitam a Deus e a Palavra se quiserem...
-Crentes ou evangélicos se tornam homossexuais se quiserem...

Não é assim que Deus nos fez? Com livre arbítrio?

É por isso que o Mestre falou:
E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento.
Este é o primeiro e grande mandamento.
E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.
Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas.
Mateus 22:37-40

O que as pessoas fazem não sou eu (nem você) que tem que olhar ou julgar, só posso amá-las e explicar que o Senhor diz assim:

Alegra-te, jovem, na tua mocidade, e recreie-se o teu coração nos dias da tua mocidade, e anda pelos caminhos do teu coração, e pela vista dos teus olhos; sabe, porém, que por todas estas coisas te trará Deus a juízo. Eclesiastes 11:9 Isto serve para os lados da "guerra".

Ao mesmo tempo Ele fala que com amor eterno nos ama e com benignidade nos atrai... Ele nos alerta da nossa falta de conhecimento, da falta de caridade...
Se estão certos ou errados? Errados todos os dois lados quando agem irracionalmente, quando generalizam. Não gosto de generalizações, cada pessoa, católico, evangélico, umbandista, budista, negro, branco, judeu, oriental, muçulmano é ímpar (perdão se esqueci você), pode até seguir doutrinas específicas de sua religião, de sua origem, mas nunca pensam, vivem ou amam idêntico!!!

Gosto também de um versículo que fala quase tudo do que está acontecendo: O homem bom, do bom tesouro do seu coração tira o bem, e o homem mau, do mau tesouro do seu coração tira o mal, porque da abundância do seu coração fala a boca. Lucas 6:44

sábado, 29 de setembro de 2012



Os 8 Remédios Naturais













EXPO SAÚDE

Expo Saúde orienta sobre vida saudável


Projeto enfatiza estilo de vida saudável
Orientar a comunidade sobre a necessidade de um estilo
de vida saudável. Esse é o principal objetivo da 1ª Expo Saúde,
realizada pela IGREJA ADVENTISTA DE CRATO CEARÁ. O evento acontecerá dia 21 de outubro de 2012, das 8 até as
12 horas na
Escola Municipal Cel. Filemon Teles no bairro Vila São Bento. O evento pretende mostrar às pessoas a importância dos oitos 
remédios naturais: temperança, nutrição, luz solar, água, exercício, ar,
descanso, e o poder de Deus (confiança).




A feira contará com oito estandes explicativos, contando com 
profissionais da área de saúde para orientar cada cidadão. As pessoas 
terão a oportunidade de testar os remédios naturais cada vez que visitar
um local da exposição. Rebecca Silva Herculano é uma das organizadoras do projeto,
explica que os visitantes terão orientações sobre como melhorar seu 
estilo de vida. “No estande de temperança, por exemplo, será medida a 
porcentagem de gordura corporal. Já no de nutrição, será medida a 
glicose sanguínea”.

O grande conflito: fundamento da IASD do Sétimo Dia


Casa Publicadora Brasileira – Lição 142012


Sábado à tarde
Ano Bíblico: Zc 1–4

VERSO PARA MEMORIZAR: “Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o Seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu Lhe ferirás o calcanhar” (Gn 3:15).

Pensamento-chave: O tema do grande conflito é o conceito abrangente que dá coesão às crenças fundamentais da Igreja Adventista do Sétimo Dia.

Dizem que “a necessidade é a mãe da invenção.” A palavra mãe, nesse caso, significa “a fonte”, “a força motriz” e “o fundamento”. É a carência, a necessidade de algo que move as pessoas à ação. Por exemplo, a necessidade de um ar mais puro é a base, a força motriz por trás do movimento por outras fontes de energia diferentes dos combustíveis fósseis.

Assim como ocorre com as invenções físicas, um sistema de crenças também precisa de uma base, um princípio que o explique.

Os adventistas do sétimo dia professam um corpo de 28 crenças fundamentais. Essas crenças têm o fundamento no conceito que chamamos de “grande conflito”. Cada uma das 28 crenças fundamentais aborda um aspecto específico desse conflito cósmico. As crenças que serão estudadas neste trimestre têm mais sentido contra o pano de fundo do tema do grande conflito. Nesta semana, consideraremos alguns dos pontos principais desse fundamento.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

O cristão pode comemorar o Halloween ou Dia das Bruxas?


compartilhe:
18Share
A maioria das pessoas consideram o Halloween como uma festa inofensiva para os seus filhos, que lhes permite ter uma noite de “fantasia e diversão.”

Mas será que este padrão é válido para os cristãos? Vestir-se como fantasmas, demônios e bruxas “não é grande coisa”? Ou fazer isto é estar glorificando e dando poderes a Satanás?

Se temos verdadeiramente empenhado nossos corações e nossas vidas a Cristo, nós devemos nos propor a estarmos separados do mundo, como pessoas que procuram refletir a bondade e o amor de Deus. O apóstolo Paulo em Filipenses 4:8 aconselha os cristãos a preencherem continuamente suas mentes com o que é bom. Um olhar cuidadoso e honesto sobre o Halloween revela que pouco ou nada é bom nesta festa. Pelo contrário, é um dia que aponta para o satanismo, para o medo, e para a gula.

Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos; porquanto que sociedade pode haver entre a justiça e a iniqüidade? Ou que comunhão, da luz com as trevas? Que harmonia, entre Cristo e o Maligno? Ou que união, do crente com o incrédulo? (2 Coríntios 6:14-15)

Embora a palavra Halloween signifique “santo ou noite sagrada”, a história mostra que nada poderia estar mais longe da verdade do que esta festa. Halloween é claramente uma relíquia dos tempos pagãos, e ela nunca refletiu nenhuma verdade ou virtudes cristãs.

Os costumes ligados ao Halloween estão comumente ligados a uma festa celebrada pelos sacerdotes druidas, das tribos Celticas que ocuparam o norte e oeste da Europa. Esta festa, que remonta muitos séculos antes de Cristo, começou em 31 de outubro de cada ano e foi chamada de festival de Samhain, o senhor da morte.

Como parte de sua adoração à Samhain, os sacerdotes druidas construíram grandes fogueiras nas quais tanto seres humanos como animais eram sacrificados. Esta prática bárbara continuou abertamente durante centenas de anos, até Roma conquistar a Bretanha e bani-la.

Anos se passaram, e Roma continuou a conquistar novos territórios aumentando seu poder. O povo de cada nação conquistada não só eram obrigados a tornarem-se cidadãos de Roma, como também se tornarem membros da Igreja Romana. Como você pode imaginar, estes novos “convertidos” pouco se importavam com o cristianismo e continuaram tenazmente agarrados as suas amadas práticas pagãs.

Portanto, uma vez que a Igreja Romana não foi capaz de fazer as pessoas abandonarem os seus festivais pagãos, ela decidiu então “santificar” alguns deles. A celebração druida em honra ao senhor da morte tornou-se o Dia de Todos os Santos, e passou a ser observado por todas as igrejas.

Oficialmente, ela foi proclamada como um dia para se homenagear todos os santos que tinham morrido, conhecidos ou desconhecidos. Mas, na prática, permaneceu o que era verdadeiramente, uma festa pagã do “Dia dos Mortos”.

Ao longo da sua história, o Halloween tem sido lembrado como o momento em que as forças sobrenaturais do mal prevalecem. Anton Lavey, autor de “A Bíblia Satânica” e sumo sacerdote da Igreja de Satanás, diz que o Dia das Bruxas é considerado pelos satanistas e ocultistas o mais importante dia do ano. Ele diz que, nesta noite, a magia e o poder chegam a seu nível mais alto de potência, e que qualquer bruxa ou ocultista que tenha tido dificuldade com algum feitiço ou maldição normalmente podem alcançar o sucesso em 31 de outubro, porque Satanás e os seus poderes estão no auge nesta noite..

Os adivinhos também acreditam alcançar os mais altos poderes no dia de Halloween, uma vez que as pessoas ficam ansiosas para saber o que pode acontecer a elas no próximo ano. Ainda hoje, as previsões de videntes e astrólogos são liberadas logo após o Halloween.

Claramente, os ritos e símbolos deste feriado revelam que este é um dia que glorifica a Satanás. Olhe ao seu redor. Ainda que 31 de outubro esteja distante, você provavelmente poderá ver evidências de que se aproxima o Dia das Bruxas. Fotos de fantasmas, demônios, gnomos, esqueletos, abóboras e máscaras de diabo aparecem nas vitrines das lojas em toda a parte. Filmes de terror são promovidos na televisão e nos cinemas, livrarias passam a dar mais ênfase aos livros que lidam com assuntos sobre a morte e o oculto.

Como cristãos, não devemos estar associados às coisas de Satanás. Cristo nos diz que :

“Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro, ou se devotará a um e desprezará ao outro…” (Mateus 6:24)

Porque Deus não nos tem dado espírito de covardia, mas de poder, de amor e de moderação. (2 Timóteo 1:7)

Desde o seu início, a festa de Halloween tem jogado sobre o medo que as pessoas sentem. Os celtas acreditavam que na noite de 31 de outubro, demônios, bruxas, e os espíritos de todos aqueles que tinham morrido perambulavam livremente. A maioria das pessoas tinham medo de sair de suas casas nesta noite. Aqueles que tinham realmente que sair usavam máscaras grotescas e fantasias aterrorizantes. Eles acreditavam que se eles estivessem horríveis o suficiente, os espíritos iriam pensar que eram um deles e não lhes fariam qualquer mal!

Como percebemos, o medo faz parte das grandes e modernas comemorações do Halloween. Decorações sombrias, filmes de terror, e casas mal-assombradas causam uma sensação muito real sobre as crianças pequenas. É alguma surpresa a quantidade de jovens que têm tido pesadelos ou estão com medo de ficarem sozinhos no escuro? Satanás se delicia em preencher as mentes das pessoas com pensamentos de medo, morte e destruição. É uma tática que ele tem utilizado durante séculos para manter a humanidade sob o seu controle.

Deus, por outro lado, deseja dar a paz a Seus filhos. Ele não quer que sejamos paralisados pelos nossos medos.  Cristo morreu para nos livrar do pavor da morte.

Visto, pois, que os filhos têm participação comum de carne e sangue, destes também ele, igualmente, participou, para que, por sua morte, destruísse aquele que tem o poder da morte, a saber, o diabo, e livrasse todos que, pelo pavor da morte, estavam sujeitos à escravidão por toda a vida.(Hebreus 2:14-15)

Portanto, quando vocês comem, ou bebem, ou fazem qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus. (1 Coríntios 10:31)

Vários dias antes da festa começar, os sacerdotes druidas iam de casa em casa exigindo alimentos ou outros itens que pudessem utilizar em seus cultos a Samhain, o senhor da morte. Se um aldeão se recusasse a dar aquilo que eles queriam, o sacerdote lançaria uma maldição demoníaca sobre a casa. Esta não era uma vã ameaça, geralmente alguém da casa morria no decorrer do ano. É a partir desta prática abominável que o nosso presente de trick-or-treat “Travessuras ou gostosuras” evoluiu.

Embora seja verdade que trick-or-treat “Travessuras ou gostosuras” já não é mais essencialmente sobre maldições, trata-se de gula. As crianças vão de casa em casa, a mercearia enchendo sacolas com doces e, em seguida, voltam para casa com seu grande tesouro consumindo grandes quantidades destas gostosuras.

Mesmo esse elemento do Halloween, que pode parecer inofensivo em comparação aos outros, em nada glorifica a Deus. A Bíblia diz que o corpo é o templo do Espírito Santo. Não devíamos poluir o templo com alimentos que embotem nossas percepções de Deus e nos leve para longe dEle.

E não sejais cúmplices nas obras infrutíferas das trevas; antes, porém, reprovai-as. (Efésios 5:1)

Satanás fica sem dúvida jubiloso ao ver uma grande parte da “nação cristã” comemorando um feriado em sua homenagem, como algo que fosse um inofensivo divertimento. Será que por nossa negligência, estamos contribuindo para o extraordinário poder que Satanás parece ter no dia 31 de outubro?

Não importa quão excitante ou divertido que possa parecer, nenhuma festa de Halloween é para ter cristãos participando. Se verdadeiramente buscamos glorificar a Deus, então como é que podemos dedicar um dia do ano para adorar Satanás? Nós não podemos !

A Bíblia diz:

Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz; (1 Pedro 2:9)


http://evidenciasprofeticas.blogspot.com/2011/10/o-cristao-pode-comemorar-o-halloween-ou.html
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...